Conselho de Ética deve votar pedido de cassação de Mentor

O Conselho de Ética da Câmara deve reunir-se, hoje, para votar o pedido de cassação do deputado José Mentor (PT-SP), acusado de ter recebido R$ 120 mil, em duas parcelas de R$ 60 mil, de Rogério Tolentino, sócio de Marcos Valério Fernandes de Souza, tido como um dos operadores do mensalão, e da empresa 2S Participações Ltda, de propriedade de Valério.Em sua defesa, Mentor afirma que o dinheiro foi pagamento de trabalho efetuado por seu escritório de advocacia e, na época do recebimento, que fez o recolhimento fiscal correspondente. O parecer do relator do processo, deputado Edmar Moreira (PFL-MG), é pelo arquivamento do processo. Entretanto, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) apresentará, na reunião, voto em separado, opinando pela cassação.Ontem, foram absolvidos pelo plenário da Câmara os deputados Wanderval Santos (PL-SP) e João Magno (PT-MG), embora o Conselho de Ética tenha sugerido a cassação dos mandatos deles. Com isso, já são sete os acusados de envolvimento no mensalão que se livraram da cassação. Além deles, já foram anteriormente absolvidos pelo plenário os deputados Sandro Mabel (PL-GO), Romeu Queiroz (PTB-G), Roberto Brant (PFL-MG), Professor Luizinho (PT-S) e Pedro Henry (PP-MT). Tiveram seus mandatos cassados apenas os ex-deputados Roberto Jefferson (PTB-RJ), José Dirceu (PT-S) e Pedro Corrêa (PP-PE).

Agencia Estado,

23 de março de 2006 | 11h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.