Conselho de Ética deve unificar processos contra Renan

O presidente do Conselho de Ética do Senado, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), afirmou que deve unificar hoje duas das representações abertas por suposta quebra de decoro parlamentar contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), abrindo um único processo de julgamento. De acordo com Quintanilha, é possível fazer a unificação porque "as duas representações guardam conexão entre si", já que o acusado é o mesmo e o objeto da denúncia, também.Quintanilha disse ter feito o convite para um colega do Senado relatar as duas representações. Uma das denúncias aponta que Renan teria comprado duas emissoras de rádio e um jornal em Alagoas usando nome de "laranjas". A outra representação pede investigação da acusação de que o presidente do Senado teria montado um esquema de cobrança de propinas em ministérios comandados pelo PMDB. As informações são da Agência Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.