Conselho de Ética demite três da Ceasa do Amazonas

O Conselho de Ética Pública, órgão criado para impor regras de conduta moral aos colaboradores do governo, anunciou hoje a demissão de três membros do segundo escalão do governo por infração ao Código de Ética.O presidente da Centrais de Abastecimento do Amazonas (Ceasa), Hélio de Oliveira Rego Filho, e os diretores da estatal Reinaldo Fonseca Arantes e João José Monteiro Nogueira foram exonerados no último dia 7 por se terem recusado a enviar ao Conselho de Ética uma declaração confidencial de informações exigidas pelo órgão das 716 autoridades que compõem o primeiro ao terceiro escalão do governo.A assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura, a que está ligada a Ceasa, divulgou hoje uma nota informando que a companhia está em processo de liquidação. Sem entrar em detalhes, a assessoria de imprensa observa "que a decisão de liquidá-la decorre do seu total descontrole administrativo e financeiro, conforme apurado pelos órgãos de controle interno do governo federal.Para o presidente do Conselho de Ética, João Piquet Carneiro, o primeiro caso de exoneração de membros do governo por causa do código mostrou que esse instrumento poderá ser útil ao governo não apenas para impor e fiscalizar a conduta moral de seus colaboradores, mas também, eventualmente, para chamar a atenção sobre casos que extrapolem sua função.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.