Conselho de Ética decidirá se cassa deputado dono do castelo

Conselho de Ética decidirá se cassa deputado dono do castelo

Parecer da Corregedoria da Casa pede a cassação do parlamentar por uso irregular da verba indenizatória

Agência Brasil ,

31 de março de 2009 | 13h38

A Mesa Diretora da Câmara decidiu nesta terça-feira, 31, enviar ao Conselho de Ética da Casa representação por quebra de decoro parlamentar contra o deputado Edmar Moreira (sem partido/MG), o dono do castelo. Parecer da Corregedoria da Casa pede a cassação do parlamentar por uso irregular da verba indenizatória.

 

Veja Também:

especialPerfil: Quem é Edmar Moreira, dono do castelo

lista Todas as notícias sobre o caso Edmar Moreira

especialVeja quem são os membros da Mesa Diretora da Câmara

documento Fac-símile: 'Estado' publica matéria sobre o caso em 1993

 

De acordo com a Corregedoria da Câmara, Moreira usou a verba indenizatória para pagar serviços de segurança prestados por empresas de sua propriedade.

 

No início deste ano, Edmar foi eleito para o cargo de corregedor da Câmara. Em seguida, foi descoberto que ele não havia declarado à Receita Federal um castelo de sua propriedade em São João do Nepomuceno, em Minas Gerais. Ele alegou omitiu a informação em sua declaração de renda porque o imóvel estava registrado em nome de um de seus filhos.

 

A Mesa da Câmara resolveu ainda acatar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que recomendou a cassação do deputado Juvenil Alves Ferreira Filho (PRTB-MG). O ato de perda de mandato de Juvenil será lido nesta tarde em plenário e o seu suplente será convocado para assumir a vaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.