Conselho de Ética decide julgar Janene à revelia

O Conselho de Ética da Câmara marcou para a próxima terça-feira a leitura do parecer do processo de cassação do deputado José Janene (PP-PR). Depois que Janene se negou novamente a comparecer ao Conselho, nesta quarta-feira, para depor, o colegiado ouviu os médicos que o atenderam.O diretor do Departamento Médico da Câmara, Luiz Henrique Hargreaves afirmou que Janene foi examinado novamente e que ficou constatado que seu quadro de cardiopatia grave não evoluiu nem para melhor nem para pior. Mas Hargreaves contou que os médicos não se manifestaram se ele estaria impossibilitado ou não para depor."Não temos condições de assumir a responsabilidade de que nada iria acontecer com ele", disse Hargreaves. "Colocamos à disposição uma equipe para permanecer com ele durante o depoimento. Não houve proibição para que ele fosse depor".O advogado de Janene, Marcelo Leal de Lima Oliveira, enviou ofício ao conselho, seis minutos antes do horário previsto para o depoimento de Janene, informando que o deputado não iria depor, alegando a necessidade de preservar seu estado de saúde, "diante da ausência de garantia quanto aos riscos envolvidos em caso de seu comparecimento". Janene permanece em Brasília.Desde o ano passado, o deputado vem usando sua doença no coração para tentar suspender o processo de cassação que corre contra ele na Câmara. Ele é acusado de ter sido beneficiado com dinheiro de contas do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, tido como um dos operadores do mensalão. Um assessor de Janene, de nome João Cláudio Genu, teria sacado R$ 4,1 milhões de contas do empresário mineiro.Em sua defesa, Janene argumenta que o PP recebeu R$ 700 mil para pagar o advogado do ex-deputado Ronivon Santiago (AC), cassado pela Justiça Eleitoral e agora preso pela Operação Sanguessuga. O processo contra Janene é o último de 19 contra deputados acusados pela CPI dos Correios de envolvimento no esquema do mensalão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.