Conselho de Ética arquiva ações contra Sarney e Virgílio

Colegiado decidiu pelo arquivamento de processos contra presidente do Senado e tucano

André Mascarenhas e Rodrigo Alvares, do estadão.com.br,

19 de agosto de 2009 | 14h43

Após os pedidos no plenário do Senado para que a sessão fosse suspensa, a TV Senado começou a transmitir às 14h10 sessão do Conselho de Ética que julgará recursos contra o arquivamento de processos contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), e o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM). Acompanhe os principais momentos da votação.

 

Acompanhe a reunião do Conselho de Ética na TV Estadão

 

16h57 - O ambiente na reunião do Conselho de Ética amainou depois do arquivamento da ação contra Arthur Virgílio. Senadores tucanos exaltam a atitude do colega em se defender perante os parlamentares e a população. 

 

16h44 - Para Dias, não se pode passar à população a ideia de que a absolvição de Virgílio não pode servir como moeda de troca para o caso das representações contra Sarney e que o PSDB vai recorrer contra o arquivamento das denúncias contra o presidente da Casa.

 

16h38 - Marconi Perillo diz que Virgílio "pagou o pato" por causa das denúncias contra José Sarney. Álvaro Dias afirma que a representação foi "surreal" e serviu como uma ação de retaliação dos senadores da tropa de choque do presidente da Casa. "Vossa excelência não precisa de resposta alguma. Nós o conhecemos", comenta.

 

16h29 - Os senadores votam de forma unânime - 15 a 0 - pelo arquivamento da representação contra o tucano.

 

16h22 - Paulo Duque pergunta quantos senadores não estão inscritos na lista e quase todos os presentes na sessão levantam as mãos. Rosalba Ciarlini pede que a votação ocorra antes das manifestações de cada um. Começa a votação pela admissibilidade da representação de Arthur Virgílio.

 

16h14 - Eduardo Suplicy diz que se sente satisfeito diante das explicações de Virgílio, e ressalta que se Sarney tivesse feito o mesmo, o Senado não estaria sob o constrangimento atual. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou o mesmo sobre seu partido e pediu o arquivamento do requerimento contra o tucano. 

 

16h03 - Wellington Salgado diz ao senador Arthur Virgílio, antes deste começar sua defesa: "Só queria deixar claro que meu voto vai ser o mesmo antes ou depis do seu discurso", ao que o tucano respondeu para ele fazer o que sua consciência mandasse.  Sobre a denúncia de ter pego dinheiro com Agaciel Maia durante a Paris, o senador disse que tentou todos os meios normais para resolver um problema no seu cartão de crédito. Tendo em vista que ele não conseguiu resolver o problema, ele liou para um assessor do então senador Antero Paes de Barros, que era casado com uma gerente do Banco do Brasil. Esse assessor teria intermediado o empréstimo de Agaciel. Virgílio agradeceu ao PMDB pelo requerimento, mas reiterou que a acusação usa "argumentos falaciosos, pois omite explicações que já dei".

 

15h50 - Suplicy disse que, como 3º suplente,não pode votar, mas justificou que, "como o próprio líder Mercadante colocou, no Conselho de Ética cada um vota conforme sua convicção. Se fosse minha vez de votar, teria votado pela abertura dos processos".

 

15h46 - O senador Heráclito Fortes (DEM-PI), primeiro-secretário da Casa, não compareceu à reunião e em seu lugar votou a senadora Rosalba Ciarlni (DEM-RN). Fortes justificou para o líder do partido, senador Agripino Maia (RN), que não se sentia à vontade em votar contra o presidente do Senado, sendo ele também integrante da Mesa Diretora.

 

15h41 - Os placares de nove a seis se repetiram para as  cinco denúncias e as seis representações contra José Sarney. Leia abaixo como cada senador do Conselho de Ética votou:

 

A favor do arquivamento:

João Pedro (PT-AM)

Delcídio Amaral (PT-MS)

Ideli Salvatti (PT-SC)

Welington Salgado (PMDB-MG)

Almeida Lima (PMDB-SE)

Gilvan Borges (PMDB-AP)

Inácio Arruda (PCdoB-CE)

Romeu Tuma (PTB-SP)

Gim Argello (PTB-DF).

 

Votos contra:

Demóstenes Torres (DEM-GO)

Marisa Serrano (PSDB-MS)

Eliseu Resende (DEM-MG)

Rosalba Ciarlini (DEM-RN)

Jefferson Praia (PDT-AP)

Sérgio Guerra (PSDB-PE)

 

15h22 - "Todas as afirmativas contra José Sarney não saíram de qualquer senador, nem do O Estado de S.Paulo", diz o senador Pedro Simon (PMDB-RS). "A Polícia Federal do presidente Lula que vazou tudo", afirma. "Não gostei da atitude dos estudantes que estão à frente do Senado com um caixão. "Para a biografia do presidente Sarney", hoje é o pior dia.

 

15h19 - "Estamos nos submetendo à turtela do partido do governo. Um partido que tinha a obrigação de estar acima de todos os outros partidos", diz José Agripino Maia (DEM-RN)

 

15h15 - Mercadante disse que "nossa bancada manteve coerência no conselho. Eu, como líder, devo considerar a posição do governo, que não foi a do nosso bloco. Como homem de partido, devo manter a posição do partido. Decidimos que cada senador votasse conforme sua convicção".

 

15h11 - "Essa nota arrebenta o pouco que existia da imagem do PT", disparou o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

 

15h09 - Até o momento a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) não chegou à reunião. Caso ela não participe, o senador Eduardo Suplicy terá direito a voto. Ele já antecipou à Agência Estado que não seguirá a orientação do partido. "A orientação que recebi foi para que votasse com minha consciência e eu sou a favor dos recursos", disse. O líder do PT, Aloizio Mercadante, tem direito a indicar quatro membros do Conselho de Ética. Como titulares estão os senadores Inácio Arruda (PCdoB-SE) e João Pedro (PT-AM). Nas duas vagas em aberto votarão os suplentes que pela ordem, são: Delcídio Amaral, Ideli Salvatti, Eduardo Suplicy e Augusto Botelho.

 

15h07 - Trecho da nota emitida por Berzoini: "Oriento os senadores do PT que fazem parte do Conselho de Ética que votem pela manutenção do arquivamento das representações em relação aos senadores representados, como forma de repelir essa tática política da oposição, que deseja estabelecer um ambiente de conflito e confusão política, no momento em que os grandes temas do Brasil, como o marco regulatório do pré-sal e as estratégias para a superação da crise internacional são propostos pelo presidente Lula, como pauta para o necessário debate nacional".

 

Veja também:

linkBerzoini orienta senadores a votarem por arquivamento

 

15h03 - Falta de coerência. Esse é o PT que está aqui, declara o senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), que ressalta a necessidade de discutir cada uma das reresentações e não em bloco.

 

14h58 - O senador João Paulo (PT-AM) afirma que a crise do Senado "é hipocrita" e orienta pela manutenção do arquivamento das representações de acordo com nota emitida pelo presidente do partido, Ricardo Berzoini (PT-SP), o que causou revolta entre os parlamentares da oposição.

 

14h50 - Com nove votos favoráveis e seis contrários, conselho decide votar em bloco os recursos contra o arquivamento das representações contra Sarney e Virgílio.

 

14h40 - Com oito votos favoráveis e sete contrários, o Conselho de Ética aprova votação em bloco dos recursos contra o arquivamento das denúncias contra Sarney e Virgílio.

 

14h38 - Paulo Duque decide pela votação nominal dos recursos.

 

14h35 - Senador José Agripino (DEM-RN) pede para que presidente permita ao senador Arthur Virgílio apresentar sua defesa. Paulo Duque permite a exposição à Virgílio, no momento em que seu processo for julgado.

 

14h31 - Senador Almeida Lima diz que conselho deve respeito ao regimento, e que por isso a sugestão de Suplicy não é válida.

 

14h30 - Arthur Virgílio, presente na conselho, se diz disposto a prestar esclarecimentos.

 

14h25 - Suplicy pede presença dos senadores Sarney e Virgílio para que apresentem suas defesas

 

14h15 - Presidente do Conselho de Ética Paulo Duque coloca em discussão se a votação será feita por bloco de denúncias e representações com teores semelhantes ou se serão nominais, ou seja, por ação. Senador Demóstenes Torres

 

14h10 - TV Senado começa a transmitir sessão do Conselho de Ética.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.