Conselho da Venezuela reprova ´intervenção´ de Lula

Um dos cinco membros do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE), o equivalente ao Tribunal Superior Eleitoral no Brasil, afirmou nesta terça-feira que o apoio dado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva à reeleição de Hugo Chávez é uma "intervenção grosseira" nos assuntos internos do país. "O presidente do Brasil não tem que opinar sobre as eleições da Venezuela, isso é uma intervenção grosseira em nossos assuntos internos", disse Vicente Díaz à imprensa. Durante uma visita realizada na última segunda-feira à Venezuela, Lula deu como garantida a vitória de Chávez nas eleições de 3 de dezembro, quando cerca de 16 milhões de venezuelanos poderão escolher o presidente que governará o país entre 2007 e 2013. Lula advertiu que, nos segundos mandatos, a população costuma ser mais exigente na hora de cobrar resultados. Díaz, que é considerado nos círculos políticos como o representante da oposição no CNE, manifestou sua rejeição não apenas aos comentários de Lula, mas a qualquer ingerência em assuntos próprios da Venezuela. "Não queremos aqui nem os Estados Unidos, nem os cubanos, nem os brasileiros, nem os espanhóis opinando sobre temas que são estritamente venezuelanos", afirmou. Na semana passada, estiveram em Caracas vários membros do Partido Popular Espanhol, que apoiaram o opositor Manuel Rosales, o principal candidato da oposição. As pesquisas de intenção de voto mostram uma sólida vantagem de Chávez sobre Rosales. O candidato opositor minimizou a influência que o apoio de Lula pode ter nas eleições de dezembro. "Lula não salvará este Governo, que tem saldo negativo em todos os setores", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.