Conselho apresenta parecer sobre irmão de Renan nesta terça

Deputado Olavo Calheiros é acusado de tráfico de influência em favor da Schincariol; ele nega envolvimento

Agência Câmara

12 de novembro de 2007 | 14h03

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar realiza nesta terça-feira,13,  reunião para conhecer o parecer do deputado José Carlos Araújo (PR-BA), relator do processo contra o deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL). Acusado de quebra de decoro em representação oferecida pelo PSOL, o irmão do presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nega que participou de fraudes em licitações em conjunto com a construtora Gautama. O deputado alega inocência também quando à denúncia de tráfico de influência em favor da fábrica de cervejas Schincariol.   Na semana retrasada, um grupo de deputados do Conselho, liderado pelo relator, esteve em Murici (AL), para conhecer a fábrica de refrigerantes vendida por Olavo Calheiros à Schincariol. Os deputados também se reuniram com autoridades e fizeram diligência na Junta Comercial de Alagoas.   Na representação contra o deputado, o PSOL se baseia em matéria publicada na revista Veja, segundo a qual a Schincariol comprou a Conny de Olavo por R$ 27 milhões, embora essa empresa fosse avaliada em no máximo R$ 10 milhões. Em troca, segundo as denúncias, Olavo teria atuado junto ao governo em favor da empresa.     Elo de Renan   A denúncia de favorecimento à cervejaria também atinge Renan. O PSOL entrou com representação no Senado para investigar o seu envolvimento com o caso.   No entanto, o relator deste processo, João Pedro (PT-AM), pediu o sobrestamento (paralisação das atividades) do processo no Senado, até que as investigações sobre Olavo fossem concluídas.    

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.