Conjuntivite se alastra no litoral paulista

Os municípios do litoral paulista concentram o maior número de casos de conjuntivite de todo o Estado de São Paulo. Segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica, das 15 mil notificações feitas do Estado neste ano, 12 mil ocorreram nas cidades litorâneas. A Fundação Nacional de Saúde (Funasa), órgão do Ministério da Saúde, acredita que a conjuntivite em São Paulo tenha infectado mais de 18 mil pessoas.Em todo o País, são cerca de 60 mil casos, sendo que o Estado com mais ocorrências é Santa Catarina (40 mil casos), seguida de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná. Uma das cidades onde a doença se alastrou foi Caraguatatuba, no litoral norte paulista.Segundo o coordenador do Programa Saúde da Família, Lourival Costa, nos últimos quinze dias foram registrados 3.157 casos. Lourival explicou que o aumento já era esperado, dentro do quadro de epidemia registrado na cidade. ?Do dia 10 ao dia 17 de março, passamos de 35 para 654 casos, quase vinte vezes mais. Na semana seguinte, do dia 17 ao dia 24, chegamos a 3.157 caso, ou seja, cinco vezes mais?, afirmou.A Secretaria de Saúde continua a orientar a população a fim de conter o número de casos. A conjuntivite é uma infecção ocular que envolve uma ou mais camadas da conjuntiva, geralmente causada por bactéria ou vírus. Há casos em que a doença se apresenta por motivos de alergia. O surto atual, pelas características epidemiológicas verificadas, pode ser de origem viral.Amostras da doença foram coletadas e encaminhadas a diagnóstico laboratorial para identificação do agente da doença. De acordo com a Vigilância Epidemiológica do Estado, é comum a ocorrência de surtos de conjuntivites virais nesta época do ano por causa do fim do verão, em que as aglomerações de pessoas são mais freqüentes.A aglomeração de pessoas é considerada a principal causa do rápido contágio da doença. A transmissão ocorre pelo contato entre as pessoas e pode ser feita pelas mãos, por toalhas e objetos contaminados com o vírus. Na maior parte dos casos, os sintomas da doença, como irritação nos olhos, vermelhidão e lacrimejamento, desaparecem em sete e dez dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.