Congresso vira palco para defesa do governo

A cerimônia de abertura do 3º Congresso Estadual do PT, ontem, foi transformada em manifestação de repúdio aos movimentos surgidos nas últimas semanas contra o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No momento em que 2 mil pessoas se reuniam na Avenida Paulista para protestar, os 1.300 delegados do partido aproveitavam o evento no centro da cidade para abrir fogo contra o movimento ''''Cansei'''', a imprensa e a oposição.''''Este partido é o partido do não cansamos, porque já sabemos que fizemos, mas podemos fazer ainda mais'''', gritou a ministra do Turismo, Marta Suplicy. Ataques à mídia e à oposição ficaram por conta do presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP). ''''Eles sabem que não podem vencer esse jogo, mas eles tentam equilibrá-lo'''', disse Berzoini, acrescentando que ''''o papel nefasto da mídia'''' tende a se acentuar.Muito aplaudido, o ex-ministro José Dirceu não subiu no palanque, mas disse que considera legítimo qualquer movimento. Ele aproveitou para retomar a campanha por sua anistia. Militantes receberam um livro, Em Defesa de José Dirceu, com direito a autógrafo do deputado cassado.ELEIÇÃO INTERNAA proposta de antecipar a eleição interna do PT, que deveria ocorrer no fim de 2008, foi aprovada, mas terá de ser ratificada na etapa nacional do congresso, que começa dia 31. A proposta de um mandato de 2 anos para as direções partidárias será votada hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.