Congresso vai alterar MP dos planos de saúde

Vencido pelas pressões, o governo decidiu submeter ao Congresso as alterações na medida provisória dos planos de saúde. Nos próximos dias, projeto de lei será enviado ao Legislativo, informaram hoje parlamentares ligados ao governo. O ministro da Saúde, José Serra, negou que seja uma derrota a decisão de alterar a MP. ?O que houve foi uma coisa ruim para os consumidores, porque as medidas eram excelentes?, disse Serra.Ele atribuiu a repercussão negativa da MP ao ?boicote? e à ?má-informação?. O ministro criticou empresas do setor, sem citar nomes. ?Até agora não encontrei ninguém que tivesse lido a medida provisória. Todo mundo fala de uma coisa que não leu?, afirmou Serra. A rejeição de entidades médicas e de consumidores à nova redação da medida provisória ganhou apoio da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara. Deputados pressionaram hoje líder do governo na Casa, Arnaldo Madeira (PSDB-SP), para que o Executivo revogasse a MP, permitindo ao Congresso discutir as alterações estabelecidas na reedição da medida, no mês passado. Com o envio do projeto, o assunto poderá ser debatido e modificado pelos parlamentares. Já a MP tem vigência automática."Existem várias leituras e interpretações, porque a MP não está clara", disse a presidente da comissão, deputada Laura Carneiro (PFL-RJ). Ela e outros oito membros da comissão reuniram-se com Madeira. O líder do governo afirmou, segundo a deputada, que dará uma resposta nesta quinta-feira,. após discutir o assunto com Serra, e o presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar, Januário Montone.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.