Congresso terá comissão para recuperar valor do mínimo

Os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), entraram hoje nas negociações para aumentar o valor do salário mínimo. "Sarney e João Paulo deixaram claro que gostariam de construir uma solução permanente para este assunto", disse o vice-presidente do Senado, Paulo Paim (PT-RS). Uma comissão deverá ser formada com deputados e senadores para discutir uma forma permanente de recuperação do valor do salário mínimo, mas sem tratar da medida provisória editada semana passada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que fixou em R$ 260 o valor do mínimo para 2004. A decisão foi tomada num café da manhã na residência de Sarney e contou com a participação de Paim, do senador Tião Viana (PT-AC) e do relator da reforma da Previdência na Câmara, deputado José Pimentel (PT-CE). A medida foi qualificada por Paim como o primeiro passo para que o Congresso assuma a condução da discussão sobre as fontes de financiamento das despesas do governo com o aumento do salário mínimo. "Ninguém quer fazer um cabo de guerra, mas temos que negociar para fazer um encontro de propostas que assegurem a recuperação do poder de compra do salário mínimo", disse Paim. O senador gaúcho informou que o deputado Virgílio Guimarães (PT-MG) deverá ser o relator do texto na Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.