Congresso tem capela ecumênica

Espaço, no entanto, é pouco usado, segundo relatos de funcionários do andar da capelinha

André Borges, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2017 | 17h51

BRASÍLIA - No 10.º andar de um prédio anexo à Câmara, há uma pequena capela ecumênica à espera de fiéis. O local, cercado por um jardim, fica aberto todos os dias, das 8 às 18 horas, podendo se estender até as 21 horas, se houver sessão extraordinária na Casa.

O uso do espaço, no entanto, é mínimo, conforme relatos colhidos com vários funcionários do andar da capelinha. A reportagem visitou a igreja projetada por Oscar Niemeyer, com vitrais da Marianne Peretti, e não havia ninguém no local.

A assessoria da Câmara afirmou que, apesar do uso mais frequente dos plenários por grupos católicos e evangélicos, já recebeu pedidos de autorização por pessoas espíritas e ligadas ao Seicho-no-Ie. A regra básica é que o uso dos plenários não pode acarretar despesas extras para a Câmara dos Deputados.

Hoje há quatro bancadas religiosas no Congresso Nacional. Dos 513 deputados, 198 estão ligados à Frente Parlamentar Evangélica, o equivalente a 39% da Casa, além de quatro senadores. A Frente Parlamentar Mista Católica Apostólica Romana atua com 214 deputados e cinco senadores. Na Frente Parlamentar Para a Liberdade Religiosa, são 208 deputados e 12 senadores.

O grupo mais recente, criado em 2012, é a Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Tradicionais de Matriz Africana, que tem 202 deputados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.