Camila Turtelli/Estadão
Camila Turtelli/Estadão

Congresso para durante jogo do Flamengo no Mundial de Clubes

Câmara realiza uma sessão para votar sugestões de alteração no marco legal do saneamento básico; no Senado, as votações acabaram antes da partida e o plenário se esvaziou

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2019 | 15h43

BRASÍLIA - Congressistas deixaram de lado votações para assistir ao jogo do Flamengo contra o Al Hilal pelo Mundial de Clubes, nesta terça-feira, 17. O time brasileiro enfrenta a equipe árabe e atrai torcedores na Câmara e no Senado no provável último dia de votações do ano. 

No Senado, as votações acabaram antes da partida e o plenário se esvaziou. A Comissão Mista de Orçamento (CMO) suspendeu a sessão que votaria o Orçamento de 2020 e remarcou a reunião para as 16 horas. A justificativa do adiamento foi analisar emendas ao projeto, mas a suspensão liberou deputados e senadores para assistir ao jogo.

Na Câmara, vários deputados deixaram a sessão para ir até o cafezinho da Casa, que fica nos fundos do local onde são feitas as votações, para assistir ao jogo pelo telão. A bancada dos torcedores reuniu parlamentares do governo, da oposição, do Centrão e não só fluminenses, mas também de outros Estados.

Durante o jogo, o andamento da sessão na Câmara foi arrastado, com deputados se revezando entre o plenário e o cafezinho. A Câmara realiza uma sessão para votar sugestões de alteração no marco legal do saneamento básico. Mais de uma vez, o relator do projeto, Geninho Zuliani (DEM-SP), foi ao cafezinho para pedir que os parlamentares fossem dar quórum às votações.

Geninho brincou ao falar sobre o assunto ao Estadão/Broadcast Político: "Se grita gol, todo mundo sai de lá (do plenário) e vem pra cá (para ver o jogo)." O time árabe começou o jogo marcando um gol contra o Flamengo. O Congresso ainda vai realizar uma sessão conjunta de deputados e senadores nesta terça-feira para votar o Orçamento, após análise da CMO.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.