Congresso da CUT receberá presidente do TST

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Francisco Fausto, participa hoje, no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo, da abertura do 8º Congresso Nacional da CUT, a primeira desde a eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Cerca de três mil delegados, que representam as entidades sindicais filiadas de todo o País, participarão do encontro que terá amanhã, quarta-feira, a presença do presidente da República. Essa é a primeira vez em que um presidente da República participa de um congresso da Central Única dos Trabalhadores, considerada a maior central sindical da América Latina. Criada em 1983, com 2.834 sindicatos filiados, de acordo com levantamento do IBGE de 2001, a CUT receberá, também pela primeira vez, um presidente do TST. Na pauta do encontro, a Central Única colocará em discussão a sua relação com o governo atual. Outros temas polêmicos são as reformas da Previdência Social e tributária. Na análise conjuntural assinada por integrantes da direção executiva, que serviu de subsídios para as discussões dos sindicalistas, o presidente da CUT, João Felício, e outros líderes sindicais afirmam que a agenda de reformas apresentou "fragilidades e desencontros na apresentação das propostas por parte de diferentes setores do governo. Eles constatam, até o momento, "a inexistência de um projeto claro para estimular o debate público sobre as diferentes reformas tidas como prioritárias". "Tal aspecto tem causado tensão e descompasso no debate entre governo, trabalhadores e outros setores da sociedade", afirmam os integrantes da direção executiva. Entretanto, segundo eles, "ainda é prematuro uma análise em profundidade do significado e do papel do governo Lula na construção de outro modelo de desenvolvimento econômico e social".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.