Congresso aprova verba para CE, mas não para BA

O Congresso Nacional aprovou, na madrugada dehoje, 34 créditos suplementares que acrescentarão cerca de R$ 4,7 bilhões ao Orçamento deste ano. Além dos 32 pedidos que já haviam sido aprovados na Comissão Mista de Orçamento na semanapassada, o plenário do Congresso autorizou outras duas liberações de recursos, no valor total de R$ 103 milhões, R$ 24 milhões dos quais para a Infraero e R$ 79 milhões para aPresidência da República e três ministérios. Desse montante de R$ 79 milhões, cerca de R$ 8,5 milhões serão aplicados no atendimento às vítimas das enchentes do Estado do Rio de Janeiroe R$ 23 milhões, destinados à barragem do Castanhão, no Ceará. Estes recursos foram obtidos depois de pressões feitas pela bancada do Estado. A obra, considerada o maior açude do Ceará, éuma das prioridades do governador Tasso Jereissati. Mas o pleito recebeu o apoio político tanto de partidários do governador quanto de seus adversários. O PFL da Bahia, no entanto, não obteve sucesso na obtenção de recursos para ampliar o aeroportoLuís Eduardo Magalhães, em Salvador. Tais recursos foram bloqueados em virtude de irregularidades na obra apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Um novo parecer do tribunalpossibilitaria a abertura de crédito, segundo informou o deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA), que comandou a pressão.Porém, os adversários do PFL, como PMDB, PSDB e PT, conseguiram impedir a aprovação dos recursos para o aeroporto, impondo uma derrota política aos aliados do ex-senador Antonio Carlos Magalhães.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.