Congresso adia ato de devolução simbólica de mandato de Goulart

Familiares do ex-presidente não conseguiram deixar o Rio de Janeiro em razão das chuvas e cerimônia será na próxima semana

Ricardo Brito e Daiene Cardoso - Agência Estado

11 Dezembro 2013 | 12h42

Brasília - O caos aéreo causado pelas fortes chuvas no Rio de Janeiro levou o Congresso Nacional a cancelar a sessão solene de devolução simbólica do mandato do ex-presidente João Goulart, prevista para esta quarta-feira, 11. Familiares do ex-presidente deposto pelo golpe militar em 1964 não conseguiram embarcar na capital fluminense. O Congresso remarcou o ato para a próxima quarta, 18.

A sessão solene contaria com a presença da presidente Dilma Rousseff, do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, além de ministros de Estado. No dia 21 de novembro, o Congresso aprovou projeto de resolução que anulava a sessão do Poder Legislativo que declarou vaga a presidência da República e destituiu do cargo o então presidente João Goulart.

Na semana passada, o corpo de Jango foi enterrado pela segunda vez, em São Borja, 37 anos após sua morte. Na ocasião, a cerimônia foi organizada com as honras de um chefe de Estado, solenidade que o primeiro funeral não teve.

O segundo enterro de Jango encerrou o ato de exumação dos restos mortais para investigar da causa da morte do ex-presidente, realizada duas semanas antes. A causa oficial da morte do ex-presidente, parada cardíaca, foi contestada por um ex-agente da repressão uruguaia, que diz ter participado de uma operação de envenenamento de Goulart.

Mais conteúdo sobre:
JangocongressoJoão Goulart

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.