Confirmada primeira morte por dengue hemorrágica em Londrina

A Secretaria de Saúde de Londrina, no norte do Paraná, confirmou a primeira morte este ano por dengue hemorrágica na cidade. A vítima foi Isabel Cristina Fidélis Ramos, de 29 anos, que morreu sexta-feira no Hospital da Zona Sul, quando esperava para ser transferida para o Hospital Universitário. Outros dois casos da doença foram confirmadas, mas os pacientes já receberam alta hospitalar e recuperam-se em casa.A morte de uma criança de 9 anos, no início de março, foi definitivamente descartada como tendo sido causada por dengue hemorrágica. A secretaria ainda aguarda os exames realizados em um protético de 32 anos, que morreu na semana passada. Segundo o secretário municipal de Saúde, Silvio Fernandes, as evidências clínicas não apontam para dengue hemorrágica. "Mas, como é uma das hipóteses consideradas, aguardamos os exames para uma conclusão da causa da morte dessa pessoa", disse.Este ano já foram notificados cerca de 7 mil casos de dengue clássica no munícipio do norte do Paraná, dos quais aproximadamente 1.400 foram confirmados. O primeiro surto da doença foi detectado em dezembro do ano passado em um assentamento urbano, onde viviam 62 famílias, na região leste da cidade. Este ano, a epidemia já está espalhada por outras regiões, embora ainda haja prevalência no leste. Os organismos de saúde têm atuado no trabalho de orientação, fiscalização e multa, em razão de mais de 70% dos focos de mosquito estarem em residências. Por outro lado, as unidades de saúde foram orientadas para dar os primeiros tratamentos, com treinamento do pessoal. Os casos mais graves são levados a duas enfermarias no Hospital Universitário e na Santa Casa, além de uma Unidade de Terapia Intensiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.