Confira a série de reportagens que deu Prêmio Esso ao 'Estado'

Rosa Costa, Leandro Colon e Rodrigo Rangel foram contemplados por série sobre atos secretos do Senado

estadao.com.br,

09 de dezembro de 2009 | 21h22

O Estado conquistou o Prêmio Esso de Reportagem de 2009 com a série dos atos secretos no Senado, dos repórteres Rosa Costa, Leandro Colon e Rodrigo Rangel. O Esso é a mais importante premiação do jornalismo brasileiro. As reportagens revelaram que mais de 500 atos administrativos foram assinados pela cúpula do Senado e entraram em vigor sem que fossem devidamente publicados nos boletins da Casa.

 

Os atos secretos foram utilizados para nomear e promover servidores, entre eles parentes de parlamentares e diretores do Senado, além de distribuir e ampliar outras benesses, como plano de saúde vitalício.

 

O Esso de Reportagem foi o 11º prêmio recebido pelo Estado em 2009. O Esso de Jornalismo foi para o Jornal do Commercio, de Recife, com Os Sertões. Criado em 1955, o Esso é o mais tradicional prêmio de jornalismo do Brasil.

 

Veja abaixo as principais matérias da série de reportagens e especial multimídia preparado pelo estadao.com.br:

 

 especialESPECIAL: Os atos secretos de um Senado em crise

lista Veja os 663 atos secretos apontados por comissão do Senado

linkSenado acumula mais de 300 atos secretos para criar cargos

linkNeto de Sarney foi beneficiado

linkSenado também usou atos secretos para pagar horas extras a servidores

linkAto secreto deu cargo no Senado a sobrinha de Sarney que mora em MS

linkAto secreto garante emprego no Senado a filha de aliado de Sarney

linkAtos secretos foram usados para proteger investigados pela PF

link'A crise não é minha, é do Senado', diz Sarney em sua defesa

linkAgaciel controlava gastos médicos de parlamentares

linkAtos secretos no Senado chegam ao total de 650

linkAtos 'top secret' nem saíam da gaveta do diretor

linkSenado empregou cunhada de Sarney

linkMordomo da casa de Roseana Sarney é pago pelo Senado

linkAtos secretos envolveram 37 senadores dos principais partidos

linkComissão do Senado aponta 663 atos secretos e culpa ex-diretor

linkSenador aponta contas paralelas e Sarney abre nova sindicância

linkNeto de Sarney opera no Senado crédito consignado, que é alvo da PF

linkSenado tem contas 'paralelas' com R$ 3 mi

 

Tudo o que sabemos sobre:
atos secretosJose SarneySenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.