Confiança na aprovação do mínimo; votação pode ser amanhã

O ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, após discutir hoje o assunto com a liderança do governo na Câmara, disse que o governo está seguro de que conta com os votos necessários para aprovar a medida provisória que fixou o valor do mínimo em R$ 260,00. Ele afirmou que o governo vai analisar a proposta de uma política de recomposição do valor do mínimo quando for apresentada pelo deputado Vígilio Guimarães (PT-MG). "O governo não está analisando porque não está pronta", disse Rebelo. Ele afirmou que o governo não está discutindo internamente a hipótese de um segundo reajuste para o salário mínimo este ano. Votação pode ser amanhãO presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), vai informar ainda hoje ao ministro da Fazenda, Antonio Paolocci, com quem almoçará em sua residência, do seu propósito de colocar em votação, amanhã, a medida provisória que fixou em R$ 260,00 o valor do salário mínimo vigente desde 1º de maio. Mais cedo, em palestra para alunos da Escola Superior de Guerra (ESG), João Paulo disse acreditar que o governo tem maioria para aprovar o mínimo de R$ 260,00. "A questão do salário mínimo tem uma peculiaridade porque, muitas vezes, deixa de ser um debate racional para ser emocional, o que impede as pessoas de fazerem uma reflexão sobre os problemas que acarreta o mínimo", disse João Paulo ao explicar que, para cada R$ 1,00 de aumento dado ao mínimo, haverá uma despesa adicional de R$ 20 bilhões para o Tesouro. "Há, hoje, 20 milhões de brasileiros que são beneficiados pelo salário pago pelo Tesouro", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.