Confederação dos Municípios quer mais dinheiro da União para Plano de Educação

O presidente da entidade, Paulo Ziulkoski, disse que, para cumprir as metas estabelecidas, seriam necessários investimentos de R$ 52,5 bilhões

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br

27 de junho de 2011 | 17h11

BRASÍLIA - A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) divulgou na tarde desta segunda-feira, 27, um estudo demonstrando os gastos que precisarão ser feitos nos próximos anos para alcançar as metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). A intenção é sensibilizar deputados e senadores, que analisam o plano, da necessidade de mais recursos da União para a área.

 

O presidente da entidade, Paulo Ziulkoski, destacou que apesar de ter metas ambiciosas o programa não prevê qualquer aumento de financiamento para a área.

 

"O Fundeb não muda, não tem aumento de financiamento, é só mais gente para atender. Dependendo de como isso for feito você pode fazer com que a qualidade da educação diminua", disse Ziulkoski.

 

Segundo os números da CNM, para cumprir agora as metas do PDE de colocar metade das crianças em creches, ampliar para 50% das escolas o ensino integral e universalizar a pré-escola seriam necessários investimentos de R$ 52,5 bilhões. Disto, somente R$ 34,9 bilhões viriam do Fundeb e outros R$ 17,6 bilhões seriam aportados pelos municípios. O programa do governo prevê o atendimento destas metas em dez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.