Condenadas do mensalão são transferidas para Minas Gerais

Kátia Rabello e Simone Vasconcellos estavam na Papuda, em Brasília, e vão cumprir pena no Estado onde têm família

Andreza Matais - O Estado de S. Paulo

09 Dezembro 2013 | 13h11

Brasília - As duas mulheres presas por envolvimento no esquema do mensalão deixaram nesta segunda-feira, 9, o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, rumo a Minas Gerais, onde moram seus familiares. Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural, e Simone Vasconcellos, ex-diretora da agência de publicidade SMP e B, ganharam óculos escuros para usar como disfarce para não serem reconhecidas na aeronave. Elas viajaram em um voo comercial.

Presas desde o dia 15 de novembro, Kátia e Simone foram condenadas a 16 anos e a 12 anos, respectivamente. Desde então a defesa solicitava a transferência para Minas Gerais.

A Polícia Federal conseguiu convencer a Vara de Execuções Penais de que transportá-las numa avião próprio geraria um custo muito alto. Quando viajam em avião de carreira, as presas são levadas para a aeronave antes dos demais passageiros, sem passar pelo portão de embarque. Uma viatura da polícia as deixa na porta da aeronave.

Em geral, os presos são acomodados na última fileira da aeronave, na poltrona do meio, ao lado de dois policiais. Viajam algemados, com um pano cobrindo as mãos para não chamar a atenção dos demais passageiros. No desembarque, geralmente, os presos são os últimos a deixar o avião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.