Concurso de modelos atrai multidão de meninas em SP

Tumulto e confusão no trânsito marcaram nesta quinta-feira a seleção do concurso de modelos Riachuelo Mega Model na agência Mega, na avenida dos Tajurás, Cidade Jardim, na zona sul de São Paulo. O problema ocorreu porque, além das 2 mil garotas já selecionadas que iriam participar do evento, apareceram mais 3 mil não-inscritas tentando concorrer também, sem contar os acompanhantes. Havia cerca de 10 mil pessoas no total, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e o Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran).As entrevistas estavam marcadas para as 10 horas. Mas a fila de modelos começou cedo. Por volta das 11 horas, a multidão, que chegava até a Ponte Cidade Jardim e invadia as pistas da avenida, atrapalhou o trânsito. A lentidão atingiu, além das redondezas, a Marginal do Pinheiros. ?Quando passei pela seleção, nem olharam na minha cara?, disse Denise Cardoso, de 20 anos. Segundo ela, que foi Miss São Paulo, os agentes dispensavam as meninas depois de só ?examinar? seus quadris. Indignada com o tratamento que recebeu, resolveu radicalizar: tirou a roupa para protestar.Um grupo de mães aderiu à manifestação e colocou fogo em camisetas distribuídas pelo evento. ?Estão fazendo a gente de boba?, disse Nalzira Pavani, de 46 anos, que acompanhava a filha, Natali, de 15. ?Eles não têm capacidade de escolher as meninas e não as respeitam. É absurdo chamar todas de uma vez.?Eram dez funcionários da Mega para atender as candidatas. Em função da confusão criada, o proprietário da agência, Eli Hadid, resolveu atender todas, inscritas ou não. ?Várias meninas trouxeram amigas e parentes. Isso tumultuou o evento, pois eu havia organizado tudo para receber e dar comida e bebida para 2 mil?, disse.No auge da bagunça na rua, funcionários da CET disseram para Hadid suspender o evento. Ele preferiu continuar atendendo todo mundo. ?Tentei fazer minha parte, porém muitas não se encaixam no perfil?, disse. ?Fico chateado, mas é um problema social.?Mais aliviada, depois de quatro horas de espera, Simone Simões, de 15 anos, que saiu de Estiva (MG), entrou no grupo das cerca de 300 pré-selecionadas. Irão para a próxima fase no máximo 30. ?Trabalho como modelo há três anos e estou disposta a morar na capital para crescer na profissão?, disse.Trinta mil garotas com idade entre 13 e 25 anos inscreveram-se em São Paulo para concorrer ao Riachuelo Mega Model. Somente 2 mil foram selecionadas para comparecer hoje à agência. A disputa é acirrada: foram 200 mil inscrições em todo o País.A primeira colocada, que será conhecida em dezembro, receberá US$ 100 mil, fechará um contrato de quatro anos com a Mega e terá chances de virar uma top model. As meninas que ficarem em segundo e terceiro lugares também terão contratos com a agência e ganharão US$ 40 mil e US$ 20 mil, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.