Conclusão do 'Ficha Limpa' fica para terça

A Câmara adiou para terça-feira a conclusão da votação do projeto "Ficha Limpa", mas seus defensores obtiveram duas vitórias importantes hoje (5), derrotando emendas que desfiguravam por completo a proposta. Mas ainda falta votar uma dezena de emendas.

CHRISTIANE SAMARCO, Agência Estado

06 Maio 2010 | 00h10

Com 362 favoráveis ao texto do relator, deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP), e apenas 42 contrários, o plenário rejeitou o destaque supressivo do PMDB, QUE determinava que o candidato somente seria impedido de registro pela justiça eleitoral se tivesse uma condenação definitiva no Supremo Tribunal Federal.

Como o texto aprovado na véspera foi mantido, acusações de abuso do poder econômico ou político que resultarem em uma condenação por um órgão colegiado em primeira instância serão punidos com oito anos de inelegibilidade.

O segundo destaque, proposto pelo PTB, teve o mesmo destino e foi rejeitado por 277 a 2, além de duas abstenções. Foi a maior vitória dos defensores da proposta. "A primeira emenda arrebentava com o projeto e esta acabava com o Ficha Limpa. Não haveria nenhuma possibilidade de fazer valer a vontade popular", explicou o deputado Indio da Costa (DEM-RJ). O PTB queria manter tudo como está, com punições apenas nos casos transitados em julgado em última instância.

Mais conteúdo sobre:
Ficha Limpa conclusão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.