Concessões de Kassab às igrejas têm fim político, ataca Russomanno

Candidato do PRB à prefeitura critica regularização de templos e alvarás de em período eleitoral; prática beneficiaria aliado tucano

Ricardo Chapola, de O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2012 | 13h32

 O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, criticou nesta segunda-feira, 20, a mudança de conduta do prefeito Gilberto Kassab quanto à regularização dos templos religiosos na capital. O ex-deputado acusa Kassab de fazer uso político ao fazer concessões às igrejas somente agora no período eleitoral. 

Aliado do candidato do PSDB, José Serra, o prefeito articulou para o tucano, no último fim de semana, o apoio de outros dois segmentos da igreja evangélica: a Mundial e de parte da Assembleia de Deus.

"Está chegando perto das eleições e o comportamento muda, não é assim que tem que ser. A gente tem que ter um comportamento o tempo todo com ética, com decência, com seriedade sempre. Não é mudar na época da eleição", disparou Russomanno, após visita ao Mercado Municipal de Santo Amaro, zona sul da capital.

Em 2009, o prefeito travou uma briga com os evangélicos por lacrar templos de algumas igrejas. Na época, algumas delas até começaram a associar a imagem do prefeito com o diabo,distribuindo folhetos com a foto dele com chifres. Líderes comentam que Kassab passou de um comportamento de "perseguição" para virar um "apoiador" dos eventos evangélicos.  

Russomanno classificou as decisões de Kassab como "falta de sensibilidade. "É falta de sensibilidade, falta de visão. Porque o que precisa é regularizar a situação. O poder público tem que resolver o problema. Ele não tem que ser aquele que sai apenando", disse.

Entre o eleitorado evangélico, Russomanno é o candidato mais bem avaliado, segundo as últimas pesquisas: ele supera o tucano José Serra por 31% a 27% das intenções de voto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.