Concessionária cria normas para salvamento em blindados

A concessionária do Sistema Anhangüera/Bandeirantes, a AutoBan, implantou salvamento para vítimas de acidentes que se utilizam de carros blindados. Até o ano passado, a frota de veículos desse gênero no Brasil era de 5 mil. A Associação Brasileira dos Fabricantes de Blindados (Abrablin) estima que em 2004 o número vai passar para 10 mil, sendo a maioria no Estado de São Paulo.De acordo com o gerente de Tráfego da AutoBan, Fábio Abrita, a empresa não registrou até agora nenhum acidente com esses veículos, mas decidiu se preparar para uma eventual ocorrência.O resgatista Eduardo Fernando de Souza fez aulas junto às montadoras dos sistemas de blindagem e com isso ajudou a empresa a estabelecer normas para utilização do equipamento "Lukas" (alicate hidráulico). Ele acredita que sem a preparação, seria impossível para a equipe de salvamento cortar as placas de aço dos carros blindados. "Levaria uma hora para quebrar os vidros e isso poderia custar uma vida", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.