Conare nega status de refugiada para Gloria Trevi

A cantora mexicana Gloria Trevi perdeu, mais uma vez, as chances de permanecer no Brasil. Depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitar pedido de prisão domiciliar, foi a vez do Conselho Nacional de Refugiados (Conare) rejeitar à artista o status de refugiada, por unanimidade. Com isso, a extradição de Gloria, decidida há alguns meses pelo STF, continua válida e ela deverá voltar para o México depois de dar à luz. A cantora ainda terá 15 dias para recorrer da decisão do Conare junto ao ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, mas dificilmente sua situação será revertida. A artista mexicana está presa há dois anos no Brasil, acusada de cumplicidade no crime de sedução de menores. Há sete meses, Gloria ficou grávida nas dependências da Polícia Federal, em Brasília, ainda em circunstâncias misteriosas. Ela afirmou ontem a deputados que foi violentada supostamente por um policial na sala de administração da PF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.