Conab ainda tem 649 mil cestas em estoque

Apenas 31% das 942 mil cestas de alimentos, doadas pelo governo federal para as vítimas da seca, já foram retiradas pelos municípios atingidos. Isso significa que 649 mil cestas estão estocadas em armazéns da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), à espera das comissões locais encarregadas de distribuir a comida entre a população carente. O balanço foi apresentado pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann, responsável pela força-tarefa contra os efeitos da estiagem no Nordeste. Ele anunciou que as prefeituras terão até quinta-feira para cumprir as exigências burocráticas e retirar a comida. Caso contrário, os alimentos serão remanejados para outras cidades. "De cada dez cestas disponibilizadas há cerca de 15 dias, só três foram retiradas", lamentou ele, acusando prefeitos de boicotarem o programa, a serviço da chamada indústria da seca. "É a velha chantagem da política dos coronéis, de tentar obter vantagens econômicas e políticas numa situação de emergência", disse. A Conab só libera as cestas para os municípios que tenham criado comissões de 10 a 15 pessoas, e em que metade dos participantes não sejam ligados à prefeitura. O objetivo é evitar o uso eleitoral das cestas. Segundo o ministro, um dia seria suficiente para a criação das comissões. Ele admitiu, no entanto, que o despreparo de muitas administrações municipais também pode explicar a demora e aventou até a possibilidade de o impacto da seca ser menor do que o estimado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.