Conab afasta sete funcionários no Paraná após operação Agro-Fantasma

Em nota, empresa afirma que ainda não teve acesso às investigações e que vinha fiscalizando as ações do Programa de Aquisição de Alimentos, alvo da operação da Polícia Federal

Agência Estado

24 de setembro de 2013 | 17h13

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou, por meio de nota, que mesmo sem ter acesso ao processo que desencadeou a operação "Agro-Fantasma", da Polícia Federal, afastou nesta terça-feira, 25, sete funcionários da superintendência no Paraná. As investigações seguem em sigilo.

O alvo da operação da PF são as irregularidades no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) que faz parte do Programa Fome Zero, do governo federal. Nesta terça, o diretor de Política Agrícola e Informações da companhia, área responsável pela operacionalização do PAA, prestou esclarecimentos na Polícia Federal e foi liberado, "mas ainda aguarda acesso ao processo para se posicionar", informou a Conab.

Ainda de acordo com a Companhia, o funcionário Erli de Padua Ribeiro foi nomeado como superintendente substituto da regional, "para acompanhar as investigações e tomar as providências administrativas". A nota da empresa também reforça que desde 2012 a Conab "tem implementado ações de aprimoramento dos procedimentos operacionais e de controle gerencial do programa", por orientação da CGU.

Dentre estas ações estaria o "Plano Nacional de Fiscalização" das operações do PAA instituído em 2013."De janeiro a junho de 2013 foram vistoriados 240 projetos em 20 estados, de cerca de 2 mil projetos em todo o País", segundo a nota.

O Estado do Paraná seria a prioridade no Plano de Fiscalização, sendo que de 121 projetos no estado, 21 foram fiscalizados pelos técnicos da Conab. Destes, 3 foram considerados regulares, 11 com ressalva, 2 irregulares e 5 que ainda não entraram em execução. De acordo com a nota, teriam sido visitados 86 produtores, 85 entidades beneficiárias e 19 parceiros.

Tudo o que sabemos sobre:
PFAGRO-FANTASMACONAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.