Compadre de Lula não poderá ser preso durante depoimento

O advogado Roberto Teixeira, amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, conseguiu na noite desta quarta-feira garantir um salvo-conduto no Supremo Tribunal Federal (STF) que lhe garante o direito de não ser preso no depoimento marcado para as 10h30 desta quinta, na CPI dos Bingos.O ministro Gilmar Mendes, autor da decisão liminar, concluiu que Teixeira vai prestar depoimento na condição de acusado ou investigado e não como testemunha. Na condição de acusado, ele não terá de assinar o termo de compromisso de dizer a verdade, que é exigido de testemunhas, e terá o direito de ficar em silêncio diante de perguntas cujas respostas puderem acarretar auto-incriminação.E pelo fato de ficar calado ele não poderá ser preso ou ameaçado de prisão, como deixou claro o ministro Gilmar Mendes em seu despacho. O ministro ressaltou, no entanto, que o empresário terá de responder às perguntas que não implicarem auto-incriminação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.