Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Comitiva visita petistas presos

Entre os visitantes havia nomes que chegaram a ser citados entre os envolvidos no esquema

Débora Álvares , O Estado de S. Paulo

20 de novembro de 2013 | 20h49

BRASÍLIA - Uma comitiva formada por 26 integrantes do PT estiveram no Complexo Penitenciário da Papuda para visitar petistas presos por envolvimento no mensalão. Entre os visitantes havia nomes que chegaram a ser citados entre os envolvidos no esquema de compra de apoio no Congresso, como o deputado federal José Mentor (PT-SP) e o ex-deputado Paulo Rocha (PA).

A visita a José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino ocorreu no dia em que os demais detentos do presídio receberam familiares e amigos no pátio dos prédios. O deputado Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP), contou que o encontro com os petistas presos ocorreu na sala da diretoria da Papuda. "Como era muita gente, nos encaminharam para essa sala", relatou.

Segundo o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), o assunto principal do encontro envolveu as condições em que ocorreram as prisões. "O que nós notamos é um clima de revolta muito grande nas circunstâncias em que a prisão ocorreu, completamente ao arrepio da legislação, aos procedimentos que são procedimentos normais, totalmente ao arrepio de garantias mínimas e de procedimentos mínimos legais", relatou ao final da visita, quando a van em que estava parte da comitiva parou para cumprimentar os militantes do partido acampados do lado de fora do presídio desde domingo.

Os deputados voltaram a falar da preocupação com o estado de saúde de José Genoino, que passou por uma cirurgia cardíaca no final de junho. "A situação dele é uma situação precária. Ele, inclusive, precisa de fazer um monitoramento das taxas dele. Porque esse monitoramento é fundamental para a dosagem do medicamento que ele tem que tomar", afirmou Pellegrino.

Genoino foi submetido nesta terça-feira, 19, a uma perícia médica no Instituto Médico Legal (IML), que atestou a gravidade da sua situação de saúde, mas não se manifestou sobre se ele deve ser mantido na cadeia ou não.

Também compareceram ao complexo o líder do PT na Câmara e irmão de José Genoino, José Guimarães (PT-CE), além dos deputados Marco Maia (PT-RS), Fátima Bezerra (PT-RN), Devanir Ribeiro (PT-SP), Biffi (PT-MS), Newton Lima (PT-SP). Lideranças petistas já afirmaram que manterão visitas regulares enquanto os petistas continuarem presos.

Nesta quinta-feira, pela manhã, será a vez da bancada do partido no Senado fazer uma visita aos petistas condenados.

Bate-boca. A deputada Marina Sant'Ana (PT-GO) foi hostilizada por parentes de presos que, na tarde desta quarta, já se preparavam para passar a noite na entrada do presídio para tentar garantir as primeiras senhas para passar pela revista e, assim, ficar mais tempo com o parente preso.

A deputada mal conseguiu explicar a movimentação causada pelos petistas presos. Enquanto contava sobre a preocupação com a saúde de Genoino, Marina Sant'Ana foi ironizada pelos familiares dos demais presos. Eles disseram ter parentes também doentes no presídio, mas que precisam contar com a "boa vontade dos policiais para ir ao médico".

"Não tem isso de passou mal, chamou doutor não", disse uma delas, que vai passar a noite na fila para visitar o marido na quinta. "Não acreditamos em deputado, senador, governador, nada disso. Não vamos ser corrompidas por um ou dois deputados que aparecem aqui porque tem gente importante presa lá", afirmou.

 

Tudo o que sabemos sobre:
MensalãoPapudavisitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.