Comitê Gestor da Internet pede veto à emenda que censura conteúdo da web

Medida determina que publicações na internet consideradas pelos candidatos como 'discurso de ódio' sejam retiradas do ar em 24 horas

Bruno Capelas, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2017 | 00h56

O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), entidade com participação de governo, empresas, academia e sociedade civil que coordena a internet no País, emitiu uma nota pública nesta quinta-feira, 5, pedindo veto à emenda aprovada durante a madrugada pelos deputados. A medida determina que publicações na internet consideradas pelos candidatos como “discurso de ódio” sejam retiradas do ar em 24 horas.

+++Emenda manda tirar conteúdo da web em 24 h

“Essas alterações criam enorme insegurança jurídica, dificultam a tutela de direitos e garantias fundamentais e comprometem o desenvolvimento da internet no País”, diz a nota. A emenda segue para análise do presidente Michel Temer, que poderá sancioná-la ou vetá-la.

A nota do comitê ainda ressalta a existência de artigos do Marco Civil da Internet, lei aprovada em 2014, que “assegura a qualquer interessado a possibilidade de exigir judicialmente a remoção de conteúdos online de qualquer natureza”. A emenda afeta diretamente as empresas de internet. Procurados pelo Estado, Google e Facebook preferiram não comentar o assunto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.