Comissão ouvirá depoimento de Jader amanhã

Depois de constatar a existência de provas palpáveis sobre o envolvimento do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) nos desvios do Banco do Estado do Pará (Banpará), a comissão de inquérito do Conselho de Ética considera-se preparada para ouvir o depoimento do presidente licenciado do Senado. A data e hora foram negociados entre o líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), e o próprio Jader, que está em sua residência em Brasília. Jader Barbalho deverá depor amanhã. O senador Romeu Tuma (PFL-SP), integrante da comissão, disse que sugeriu a Barbalho que o depoimento fosse às 10 horas, mas até o momento não obteve resposta.Os integrantes da Comissão, que se reuniram hoje com técnicos do Banco Central (BC) para uma avaliação dos documentos sigilosos do BC, encarregaram o senador Paulo Hartung (PPS-ES) de manter contato com Renan. Diante das análises feitas hoje apontando Jader Barbalho como um dos beneficiários do desvio do Banpará, os senadores começam agora a confrontar os pronunciamentos e declarações de Jader com os relatórios do BC, para mostrar que ele mentiu ao negar qualquer envolvimento com o rombo do Banpará.O senador paraense sempre recorreu a trechos do parecer de 1992 do BC para afirmar que não se conseguiu provas "suficientes, robustas, convincentes?, no sentido de indiciá-lo juridicamente. No entanto, o BC contesta esse argumento, mostrando, por meio de relatórios técnicos, que o senador e seus familiares foram beneficiados. "Ficamos preocupados porque alargaram-se as dúvidas de que Jader realmente não tem nada com isso", afirmou o senador Romeu Tuma, depois da reunião com os técnicos do Banco Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.