Comissão do Senado lista ações por maior transparência

Entre as 36 ações, estão as mudanças na regulamentação das cotas de passagens aéreas dos senadores

AE, Agencia Estado

02 de julho de 2009 | 17h46

A Comissão Diretora do Senado emitiu nesta quinta-feira, 2,  um comunicado no qual lista as 36 ações adotadas pela atual gestão para dar maior eficiência e transparência às decisões administrativas da Casa. O senador Mão Santa (PMDB-PI), ao abrir a sessão desta tarde, leu o comunicado em plenário. Entre as ações listadas, estão: mudanças na regulamentação das cotas de passagens aéreas dos senadores; a nova regulamentação de uso da verba indenizatória relativa ao fretamento de meios de locomoção; e redução de 10% das despesas gerais do Senado.

 

Veja também:

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

Também estão na lista redução da taxa de juros dos empréstimos consignados para o patamar máximo de 1,6% ao mês; redução da cota de telefones celulares dos diretores; determinação de levantamento detalhado sobre contratos de prestação de serviço com execução direta ou indireta do Senado; extinção de 11 secretarias com exoneração dos respectivos diretores; designação de comissão para o levantamento e a averiguação de atos e boletins administrativos sem publicação; divulgação das despesas parlamentares com verba indenizatórias na página do Senado na internet; determinação para normalizar situações de servidores terceirizados que tenham características de nepotismo em conformidade com a Súmula do Supremo Tribunal Federal (STF); e inauguração do portal da transparência.

A lista envolve ainda a nomeação de novos diretores, como o diretor-geral Haroldo Tajra e a diretora da Secretaria de Recursos Humanos, Dóris Peixoto, aponta a abertura de sindicância destinada a apurar as responsabilidades pelos atos administrativos não publicados, ou seja, os atos secretos, com acompanhamento do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Ministério Público Federal; e a solicitação à Polícia Federal para que investigue todos os empréstimos consignados a servidores da Casa, bem como as empresas que os operaram.

Tudo o que sabemos sobre:
Senadotransparênciaatos secretos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.