Comissão do Planalto manda Lupi deixar direção do PDT

A Comissão de Ética Pública (CEP), vinculada à Presidência da República, deu ao ministro do Trabalho, Carlos Lupi, prazo de dez dias para que deixe a presidência do PDT. A CEP argumenta que o exercício simultâneo de cargo público e de cargo de direção político-partidária compromete a clareza de posições exigida das autoridades públicas e contraria os princípios éticos, além de poder causar conflitos de interesses. A decisão da comissão foi tomada na segunda-feira durante reunião mensal realizada no Rio de Janeiro.Segundo nota divulgada no site da Presidência da República, "a não observância das recomendações da Comissão de Ética Pública configura falta grave (...), sujeitando o senhor ministro, de imediato, à sanção prevista na segunda parte do parágrafo único do artigo 17 do Código de Conduta da Alta Administração Federal, que diz expressamente (...) que, conforme o caso, poderá encaminhar sugestão de demissão à autoridade hierarquicamente superior."A Comissão de Ética Pública informa que o prazo de dez dias para Lupi se desincompatibilizar começa a ser contado a partir da notificação do ministro. Lupi, segundo sua assessoria de imprensa, disse hoje que não foi notificado oficialmente da decisão da CEP e só comentará o assunto após receber o comunicado.

ISABEL SOBRAL, Agencia Estado

29 de novembro de 2007 | 18h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.