André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Comissão do impeachment começa a ouvir testemunhas da defesa de Dilma

Pelo perfil das testemunhas, debate deve se concentrar na operação de crédito realizada com o BB em relação ao Plano Safra

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2016 | 11h59

BRASÍLIA - A Comissão Especial do Impeachment se reúne, nesta terça-feira, 14, para ouvir testemunhas da defesa da presidente afastada Dilma Rousseff. O primeiro depoente é o ex-secretário-adjunto da Casa Civil da Presidência Gilson Bittencourt.

Pelo perfil das testemunhas do dia, o debate deve se concentrar na análise da operação de crédito realizada com o Banco do Brasil em relação ao Plano Safra. Entre os convidados, estão também o ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho e o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, André Nassar.

Perícia. Os aliados de Dilma vieram para a comissão nessa terça-feira com uma vitória no processo. Durante a madrugada, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e instância máxima no processo de impeachment, Ricardo Lewandowski, aceitou o recurso da defesa para garantir a realização de um perícia nos objetos de acusação.

A defesa havia pedido uma perícia nos quatro decretos de créditos suplementares analisados no processo, além das pedaladas relacionadas ao Plano Safra. Apesar de o relator, Antonio Anastasia (PSDB-MG), ter votado a favor da perícia, que seria realizada pelo próprio Senado Federal, os senadores da base de Michel Temer derrubaram a orientação do relator. A defesa recorreu a Lewandowski.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.