Comissão deve dar novo pito em Lupi

Motivo é ter participado, na hora do expediente, de atividade partidária

Tânia Monteiro, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

28 Janeiro 2008 | 00h00

A Comissão de Ética Pública deve censurar hoje pela segunda vez o ministro Carlos Lupi, da Previdência, por ter participado, no horário do expediente, do lançamento da pré-candidatura do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, à Prefeitura de São Paulo. A reunião-comício aconteceu sexta-feira. Em discurso, Lupi disse que a capital paulista precisa da "coragem e sensibilidade popular" de Paulinho. A comissão já tinha reprovado Lupi pelo acúmulo da presidência do PDT com o cargo de ministro. A Advocacia-Geral da União (AGU) informou ao presidente Lula que não considera o acúmulo ilegal e prepara uma justificativa para apresentar hoje, na primeira reunião da Comissão de Ética do ano. Assim, o governo espera encerrar a novela sem contrariar o ministro do partido aliado.Outro tema a ser discutido hoje pela comissão é a atitude da ministra da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, que fez compras num free shop na véspera de Natal usando o cartão de crédito corporativo do governo.CENSURA À ANACNa reunião de hoje, a comissão deve também aprovar censura a ex-diretores da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) - que já deixaram o cargo -, por terem aceitado favores de empresas aéreas, que são os alvos da fiscalização e regulação da agência. Os ex-diretores da Anac ganharam passagens de cortesia e aceitaram upgrade em vôos. Um deles, Josef Barat, viajou para Nova York em dezembro de 2006 para participar do "TAM Day", um evento para apresentar a empresa a investidores internacionais, com passagem e estadia bancadas pela companhia aérea.A Comissão de Ética deve divulgar ainda uma recomendação para que o primeiro escalão do governo mantenha recato durante o carnaval. A recomendação vai aconselhar que autoridades federais não aceitem convites de empresas privadas para assistir a desfiles e participar de festas de carnaval.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.