EVARISTO SA / AFP
EVARISTO SA / AFP

Comissão de ética da presidência rejeita analisar nomeação de filho de Mourão

Presidente em exercício diz que órgão 'seguiu a lei'; Antonio Hamilton Rossell Mourão foi promovido assessor especial da presidência do Banco do Brasil

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2019 | 22h25

BRASÍLIA - Após a Comissão de Ética Pública da Presidência rejeitar a abertura de um procedimento para analisar a nomeação de seu filho no Banco do Brasil, o presidente em exercício, Hamilton Mourão, declarou que o órgão seguiu a lei. "A Comissão de Ética seguiu a legislação prevista. Então não compete a mim ficar satisfeito ou não", disse Mourão, ao ser perguntado se estava satisfeito com a decisão. 

Antonio Hamilton Rossell Mourão, filho do presidente em exercício, foi promovido a assessor especial da presidência do Banco do Brasil, posto com salário de cerca de R$ 36 mil. A nomeação foi questionada com o argumento de que representaria nepotismo na administração federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.