Comissão de ética da presidência avisa que falta esclarecimento da Petrobrás

Comissão de ética da presidência avisa que falta esclarecimento da Petrobrás

Américo Lacombe diz que vai reoficiar pedido para ver se consegue as informações relativas a Nestor Cerveró, ex-diretor da estatal

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2014 | 19h34


O presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, Américo Lacombe, informou há pouco que a Petrobrás ainda não prestou os esclarecimentos solicitados pelo grupo. A comissão apura a conduta do ex-diretor da área internacional da estatal Nestor Cerveró na época da elaboração do relatório que levou a empresa a adquirir a refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), em 2006.

"Ele (Cerveró) já havia apresentado as informações e nós pedimos outras, complementares à Petrobrás. A Petrobrás não mandou, então estamos reoficiando a Petrobrás para ver se consegue mandar as informações que queremos", disse Lacombe, após participar da reunião da comissão. O ofício será novamente endereçado à presidente da estatal, Graça Foster.

Questionado sobre que informações estão sendo solicitadas pelos conselheiros, Lacombe respondeu: "São várias. Todas que você imaginar. Tudo, as denúncias que estão havendo, queremos informações de tudo."

A Comissão de Ética abriu o processo para apurar a conduta de Cerveró após a presidente Dilma Rousseff informar, em nota encaminhada ao jornal O Estado de S.Paulo, que foi favorável à compra com base num parecer "técnica e juridicamente falho".

Em 18 de agosto, a comissão pediu explicações a Cerveró "sobre a existência de eventual sonegação de dados relevantes ao Conselho de Administração" da empresa, relacionados à aquisição da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), o negócio causou prejuízo de US$ 792,3 milhões aos cofres da Petrobrás. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.