Comissão de Ética aprova cassação de Eurides Brito

Envolvida no caso do mensalão do DEM, deputada ainda deve ser julgada na CCJ e no plenário da Casa

Estadão.com.br

27 Maio 2010 | 15h15

BRASÍLIA - A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar aprovou nesta quinta-feira, 27, por unanimidade, pedido de cassação da deputada afastada Eurides Brito (PMDB). O processo segue para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que tem o prazo máximo de cinco sessões ordinárias para avaliar a admissibilidade do pedido. Se aceito, segue para o plenário da Casa, onde são necessários 13 votos para aprovar a cassação.

 

Em relatório de cerca de 200 páginas, a relatora do processo por quebra de decoro parlamentar contra Eurides Brito, deputada Erika Kokay (PT), levanta incoerências no discurso da peemedebista. Segundo Kokay, Eurides Brito não comprovou a licitude do dinheiro que aparece colocando na bolsa em vídeo gravado pelo ex-assessor de Relações Institucionais Durval Barbosa.

 

"Os fatos se sobrepõem: a deputada mentiu de forma evidente para esta Comissão, nem as testemunhas indicadas por ela sustentaram seu depoimento", disse a relatora ao final da reunião da Comissão.

 

Com informações da CL-DF

Mais conteúdo sobre:
cassação Eurides Brito CL-DF mensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.