Comissão da Câmara terá acesso a gravações sobre delegado

Polícia Federal tem prazo de 30 dias para responder a solicitação e passar as gravações à Presidência da Câmara

Agência Brasil

21 de julho de 2008 | 15h11

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados terá acesso às gravações da Polícia Federal relativas à saída do delegado Protógenes Queiroz das investigações da Operação Satiagraha, que apura crimes financeiros. O presidente da comissão, Raul Jungmann (PPS-PE), foi quem encaminhou, sexta-feira, ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), o pedido de acesso às gravações.  Veja também:Dantas chega à PF para terceiro depoimento na semanaOuça trechos da reunião que decidiu a saída do delegado  Apesar do apelo de Lula, Protógenes deixa caso Dantas na sextaJuiz aceita denúncia e Daniel Dantas vira réu por corrupção ativa Entenda como funcionava o esquema criminoso Veja as principais operações da PF desde 2003 As prisões de Daniel Dantas  A Polícia Federal tem prazo de 30 dias para responder a solicitação e passar as gravações à Presidência da Câmara, que as repassará à comissão, que só volta a se reunir em agosto, depois do recesso parlamentar. Na última semana, a Polícia Federal divulgou trechos de uma gravação na qual o delegado Protógenes Queiroz afirmava que queria deixar o comando das investigações da Operação Satiagraha. A gravação, feita pelo própria Polícia Federal, reproduz trechos de um diálogo entre Queiroz e o diretor de Combate ao Crime Organizado, Roberto Ciciliati Troncon Filho.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Satiagraha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.