Comissão da Câmara fará audiência sobre caso Alstom

Diante do bloqueio imposto pela maioria tucana na Assembléia Legislativa de São Paulo, o PSOL e o PT na Câmara dos Deputados se uniram para garantir a visibilidade do caso Alstom. Hoje, a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara aprovou, por 10 votos a favor e sete contrários, requerimento que propõe a realização de uma audiência pública, no dia 17 deste mês, para ouvir o presidente da Alstom no Brasil e representantes da promotoria paulista, do Ministério Público Federal (MP) e da Polícia Federal (PF) que participam diretamente das investigações.A multinacional francesa atua nos setores de transportes e energia elétrica e está sendo objeto de investigação internacional sob acusação de pagar propina a integrantes do governo de São Paulo para garantir contratos na gestão Mário Covas (PSDB). Interessado em apurar não só a relação da Alstom com o governo paulista, mas também contratos que a empresa teria com estatais federais como a Eletrobrás, a Eletrosul e até a Petrobras, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) tomou a iniciativa de propor a audiência pública. Como nem membro efetivo da Comissão ele é, a saída foi se unir ao titular Francisco Praciano (PT-AM) e apresentar um requerimento conjunto. Sem os poderes de uma CPI para convocar testemunhas, a Comissão de Desenvolvimento Econômico decidiu convidar o presidente da Alstom no Brasil, Aloísio Vasconcelos, o promotor paulista Sílvio Marques, o procurador do MP Rodrigo de Grandis e o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Correa. "É um convite, mas a Alstom virá", aposta Ivan Valente, convencido de que a empresa tem "muitos interesses no Brasil, preocupação em preservar sua imagem e contas a prestar à sociedade". De nada adiantou a resistência dos representantes do PSDB e do DEM na Comissão. Apesar das ponderações do deputado Guilherme Campos (DEM-SP) de que a comissão não tem poderes investigatórios, e dos argumentos do tucano Luiz Paulo Vellozo Lucas (ES), que advertiu para o risco de a comissão fazer o jogo de uma disputa travada na França, o requerimento foi aprovado. O debate em torno da Alstom não ficará restrito à audiência pública. Também por iniciativa de Valente, a Mesa da Câmara já acolheu e enviou ao Ministério da Justiça um pedido de informações, para que o ministro requeira à Polícia Federal o teor de todas as investigações em curso que envolvam a Alstom.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.