Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Comissão da Câmara aprova PEC que assegura cota mínima para mulheres no Legislativo

De autoria do Senado Federal, proposta tem como objetivo diminuir a desproporcionalidade de gênero no âmbito político, espaço tradicionalmente dominado por homens

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2016 | 18h02

BRASÍLIA - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, 7, por 29 votos a 8, a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que assegura um porcentual mínimo de representantes de cada gênero em casas legislativas de todos os níveis federativos. Na prática, o objetivo da proposta é assegurar uma cota mínima para mulheres, uma vez que homens já representam maioria nesses espaços. 

De autoria do Senado Federal, a PEC garante participação mínima para mulheres e homens na Câmara, nas assembleias legislativas dos Estados, Câmara Legislativa do Distrito Federal e nas câmaras municipais. A garantia vale pelas três legislaturas subsequentes à promulgação da PEC. De acordo com a proposta aprovada pela CCJ, esse porcentual deverá ser de 10% das cadeiras da casa na primeira legislatura, 12% na segunda e 16% na terceira. 

Caso o número de pessoas daquele gênero não atinja esses porcentuais mínimos, as vagas deverão ser preenchidas pelas candidatos do mesmo gênero com maior votação nominal individual entre os partidos que alcançaram o chamado quociente eleitoral (ou seja, legendas que ganharam alguma vaga da divisão dos postos disponíveis). A PEC já tinha sido aprovada em dois turnos pelo Senado no ano passado. Na Câmara, deverá ser analisa por comissão especial, antes de ser votada em plenário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.