Comissão aprova processo de Impeachment de Arruda

Comissão da Câmara do DF aceitou pedido do deputado Chico Leite pedindo abertura do processo

estadao.com.br,

26 de fevereiro de 2010 | 13h00

A Comissão Especial da Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou por unanimidade, nesta sexta-feira, 26, o relatório do deputado Chico leite (PT) pedindo a abertura de processo de impeachment do governador José Roberto Arruda, que está preso desde o último dia 11 por obstruir as investigações da Polícia Federal sobre o esquema de corrupção chefiado por ele. No seu parecer, Chico Leite acusa o governador de crime contra o livre exercício dos Poderes, crime contra o uso e emprego legal do dinheiro público e ainda de crime contra a probidade na administração pública.

 

Após a aprovação do relatório, Arruda será notificado e terá 20 dias para apresentar defesa. Em seguida, Chico Leite usará a defesa do governador para elaborar um novo parecer, que voltará à pauta da Comissão Especial. Se o colegiado também aprovar este segundo parecer, o pedido de impeachment segue para o plenário. Uma vez referendado pela Casa, Arruda é afastado do governo por 120 dias enquanto um colegiado formado por cinco desembargadores do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e cinco deputado distritais analisará se o impeachment deve ser decretado ou não.

 

Paulo Octávio

 

A Comissão Especial também formalizou a extinção do processo de impeachment do ex-vice-governador do Distrito Federal Paulo Octávio (sem partido, ex-DEM). Como Octávio renunciou ao mandato na última Com informações deterça-feira, o pedido de impeachment dele perdeu o sentido.

 

Paulo Octávio governava o DF interinamente desde a prisão do governador eleito, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), mas não conseguiu apoio político para comandar a cidade. Pressionado pelo partido pelo qual foi eleito, o DEM, o ex-vice-governador pediu desfiliação do partido e, em seguida, deixou o governo.

 

José Roberto Arruda e Paulo Octávio são acusados, em inquérito policial, de serem beneficiários de um esquema de corrupção no governo do DF. Arruda foi preso pela Polícia Federal pela acusação de obstruir as investigações. O governador está afastado do cargo e responde processo de impeachment na Câmara Legislativa.

 

Com informações de Carol Pires, da Agência Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.