Comissão aprova discutir elo do mensalão com Bancoop

A oposição na Câmara conseguiu aprovar requerimento de audiência pública na Comissão de Fiscalização e Controle para discutir possível conexão do mensalão do PT com as denúncias sobre suposto esquema de desvio de dinheiro da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop). O líder do DEM na Câmara, Paulo Bornhausen (SC), autor do requerimento, considera a possibilidade de os recursos desviados da Bancoop terem financiado o mensalão do PT, revelado em 2005.

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

05 Maio 2010 | 15h04

"Segundo as denúncias publicadas, enquanto cuidava das finanças da Bancoop, o atual tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, acumulava a função de administrador informal da relação do PT e os fundos de pensão de empresas estatais, bancos e corretoras. Essas funções, segundo depoimento do doleiro Lúcio Funaro, teriam levado ao envolvimento de Vaccari com o mensalão do PT. É isso que queremos investigar nessa audiência pública", argumentou Bornhausen.

O requerimento lista nove pessoas que deverão ser ouvidas: o presidente licenciado da cooperativa, João Vaccari Neto, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-prefeito de Belo Horizonte e um dos coordenadores da campanha petista à Presidência da República, Fernando Pimentel, os ex-presidentes do PTB Roberto Jefferson e do PR Valdemar Costa Neto, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro, o publicitário Marcos Valério de Souza, o ex-secretário do PT Silvio Pereira e o ex-procurador geral da República Antonio Fernando de Souza, que entrou com pedido de abertura de processo no Supremo Tribunal Federal (STF), do caso do mensalão.

Ao contrário de ministros de Estado, os convidados do requerimento não são obrigados a comparecer à audiência, cuja data ainda será marcada pela comissão.

Mais conteúdo sobre:
Câmara Bancoop mensalão PT

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.