Comissão aguarda informações da Petrobras sobre Cerveró

O presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, Américo Lacombe, informou nesta segunda-feira, 29, que a Petrobras ainda não prestou os esclarecimentos solicitados pelo grupo. A comissão apura a conduta do ex-diretor da área internacional da estatal Nestor Cerveró na época da elaboração do relatório que levou a empresa a adquirir a refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), em 2006.

RAFAEL MORAES MOURA, Estadão Conteúdo

29 de setembro de 2014 | 19h41

"Ele (Cerveró) já havia apresentado as informações e nós pedimos outras, complementares à Petrobras. A Petrobras não mandou, então estamos reoficiando a Petrobras para ver se consegue mandar as informações que queremos", disse Lacombe, após participar da reunião da comissão. O ofício será novamente endereçado à presidente da estatal, Graça Foster.

Questionado sobre que informações estão sendo solicitadas pelos conselheiros, Lacombe respondeu: "São várias. Todas que você imaginar. Tudo, as denúncias que estão havendo, queremos informações de tudo."

A Comissão de Ética abriu o processo para apurar a conduta de Cerveró após a presidente Dilma Rousseff informar, em nota encaminhada ao jornal O Estado de S.Paulo, que foi favorável à compra com base num parecer "técnica e juridicamente falho".

Em 18 de agosto, a comissão pediu explicações a Cerveró "sobre a existência de eventual sonegação de dados relevantes ao Conselho de Administração" da empresa, relacionados à aquisição da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), o negócio causou prejuízo de US$ 792,3 milhões aos cofres da Petrobras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.