Comissão adia depoimentos sobre CC-5 a pedido dos procuradores

Foi adiada a audiência pública, na Comissão de Segurança Pública da Câmara, para tratar da remessa ilegal de US$ 30 bilhões ao exterior, por meio das contas CC-5, a maioria pela agência do Banestado em Nova Yorque. Os procuradores Luiz Francisco de Souza, Valquiria Oliveira Quixada Nunes e Raquel Branquinho Nascimento, do Ministério Público Federal, pediram o adiamento de seus depoimentos porque estão elaborando uma relação de provas sobre o caso. O presidente da Comissão de Segurança Pública, deputado Moroni Torgan (PFL-C E), afirmou que se a comissão não funcionar oficialmente durante a convocação extraordinária, poderão ser feitos trabalhos informais durante esse período. Ele informou também que não há data definida para uma nova audiência com os procuradores, mas que eles ressaltaram estar à disposição da comissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.