QUETILA RUIZ / ESTADÃO
QUETILA RUIZ / ESTADÃO

Comércio é reaberto em Mato Grosso, Rondônia e Roraima

Governadores mantêm isolamento apenas para idosos e pessoas do grupos de risco, medida defendida por Bolsonaro

José Maria Tomazela e Fábio Bispo, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2020 | 20h56

SOROCABA  – Os governadores de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), de Rondônia, Marcos Rocha (PSL), e de Roraima, Antonio Denarium (PSL), seguiram a recomendação do presidente Jair Bolsonaro e autorizaram a reabertura do comércio em seus Estados. As atividades estavam restritas por causa da pandemia do novo coronavírus. As três unidades da Federação têm casos registrados da doença.

Em Mato Grosso, o governador baixou um decreto que permite o funcionamento de estabelecimentos comerciais e do transporte coletivo, serviço que também havia sofrido restrições. Outras medidas de isolamento social foram mantidas apenas para idosos e pessoas do grupos de risco – o chamado isolamento vertical, defendido por Bolsonaro. O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), no entanto, criticou a decisão do governador e disse que, na capital, o isolamento social não será abrandado.

Pelo decreto de Mato Grosso, bares, cafés, redes de supermercado e estabelecimentos alimentícios na modalidade delivery podem reabrir, e a circulação do transporte público municipal e metropolitano com passageiros sentados está permitida. A autorização se estende a táxis, aplicativos e transporte de funcionários por empresas. Restaurantes em rodovias também foram liberados para funcionamento, assim como bancos, lotéricas, igrejas e templos.

Mauro Mendes afirmou que não houve influência de Bolsonaro na decisão. “Estamos defendendo o rigor do isolamento social, não o isolamento econômico. Não podemos transformar um problema num problema ainda maior. Por isso, continuaremos mantendo Mato Grosso no isolamento social, sem tirar a liberdade do trabalhador”, disse o governador.

Já o prefeito de Cuiabá declarou que mantém o entendimento pela necessidade do isolamento social como principal estratégia de combate à disseminação do coronavírus. “O vírus não circula, quem circula são as pessoas. Neste momento, não há atividade econômica que prevaleça à vida”, disse Pinheiro.

Também por decreto, o governo de Rondônia liberou o funcionamento parcial do comércio em todo o Estado. Voltam a funcionar ainda indústrias, obras e serviços de engenharia, oficinas mecânicas, autopeças, hotéis e hospedarias. “Segmentos do setor produtivo não podem parar”, disse o governador Marcos Rocha. Em Roraima, foi autorizada a reabertura do comércio em todo o Estado em sistema de delivery ou “pegue e leve”. Denarium também suspendeu a proibição do transporte coletivo municipal.

O governo de Santa Catarina, Estado governado pelo PSL (ex-partido de Bolsonaro), publicou portarias que autorizam a retomada de obras públicas de infraestrutura e de conservação rodoviárias. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade, as obras e contratos de conservação rodoviária são essenciais para garantir o enfrentamento do coronavírus.

O governador Carlos Moisés anunciou um plano de retomada da economia catarinense a partir de 1º de abril. “O plano não libera a aglomeração em parques, praças, igrejas, festas. Estamos trazendo uma esperança para os empreendedores.”

Governo do DF afrouxa regra de isolamento e libera lotéricas e lojas de conveniência

Já o governo do Distrito Federal alterou parcialmente o decreto que impôs o fechamento do comércio para autorizar o funcionamento de casas lotéricas, correspondentes bancárias e lojas de conveniência de postos de gasolina. 

A determinação para reabertura desses estabelecimentos está em novo decreto do governador Ibaneis Rocha (MDB), publicado nesta sexta-feira, 27. Os comércios abertos devem respeitar distância mínima de dois metros entre as pessoas, além de fornecer álcool em gel aos funcionários.

Continua proibida a venda de refeições e de produtos para consumo nesses locais. No Distrito Federal, as restrições continuam para estabelecimentos como cinemas, academias e museus até pelo menos o dia 5 de abril.

Entre os governadores, Ibaneis Rocha vinha sendo um dos mais rígidos na adoção de medidas de isolamento social e pioneiro na política de quarentena para conter o avanço da covid-19. Nesta sexta, morreu a primeira pessoa no Distrito Federal por conta do novo coronavírus. Ao todo, são 242 casos confirmados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.