DANIEL TEIXEIRA | ESTADAO CONTEUDO
DANIEL TEIXEIRA | ESTADAO CONTEUDO

Comemoração no diretório tucano teve Hino Nacional, choro de militantes e gritos de 'SP é coxinha'

Sob o tema da vitória, tucanos comemoram derrota do PT

O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2016 | 23h55

Sob o som do tema da vitória, o tucano João Doria chegou por volta das 21 horas na sede do diretório estadual do PSDB, na zona sul da capital, acompanhado do governador Geraldo Alckmin, do seu vice, Bruno Covas e da mulher, Bia Doria.

O clima de euforia, que já tomava conta do entorno da sede do partido, celebrava não apenas a vitória do tucano, mas a derrota do prefeito Fernando Haddad (PT) e o fortalecimento do partido.

No estacionamento em frente ao diretório, militantes eufóricos balançavam bandeiras de Doria e recebiam os carros que passavam e buzinavam com gritos de "fora PT", "fora Haddad" e "São Paulo é coxinha". Dentro do diretório, musica alta, Hino Nacional, balões azuis e amarelo ajudavam um animador a distrair a plateia, enquanto acompanhavam a apuração dos votos. Ao anunciar o resultado, gritos e choros.

Ostentando um broche "Eu apoio Sergio Moro", ao lado do adesivo de Doria, Evandro Sodeiro, 23 anos, dizia exaltado a outros ativistas: "A gente já tirou o PT e os comunistas do governo federal. Agora tiramos também da maior cidade do país. Alckmin vai crescer muito para as próximas eleições presidenciais".

Filiado tucano desde os 16 anos, Alex Steiner distribuía adesivos aos que chegavam. “Qualquer um que conheça esse homem e vê o tanto que ele trabalha, não se surpreendeu”, afirmou o jovem, que trabalhou na campanha desde o início.

Ausências. Apesar da euforia dos militantes, a festa da vitória de Doria também foi marcada pela ausência de nomes importantes do PSDB, que não compareceram à celebração na zona sul da capital, como o ministro das relações exteriores José Serra. Mesmo nomes que chegaram a apoiar Doria na reta final, como o ex-presidente Fernando Henrique, também não apareceram.

No diretório, estiveram presentes membros da administração do governo estadual, como secretário da Casa Civil de Alckmin, Samuel Moreira. Do governo federal, o secretário adjunto do Ministério da Educação, Felipe Sigollo, também chegou no fim da tarde.

O presidente do PSDB municipal e vereador reeleito, Mario Covas Neto, chegou por volta das 20h na comemoração. Ele foi recebido com aplausos e interagia com militantes: "tá no sangue", fazendo referência a Bruno Covas, vice na chapa de Doria.

"O PSDB acertou desde o primeiro momento quando escolheu o candidato com mais chances de ganhar. Sem dúvida, Alckmin sai fortalecido desse processo, já que houve um aumento significativo do PSDB em todo o Estado", afirmou o vereador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.