Começa sessão para eleição do presidente da Câmara

O PMDB deverá se consolidar no comando do Legislativo com a eleição do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para a presidência da Câmara na sessão do plenário que começou há pouco. O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), abriu a sessão com uma homenagem às vítimas do incêndio na boate em Santa Maria (RS) e está fazendo um balanço de sua gestão nesses dois anos. Confirmada a vitória de Henrique Alves, o PMDB terá sob o seu comando os três postos da cadeia hierárquica de sucessão da presidente Dilma Rousseff. Pela ordem, a vice-presidência, com Michel Temer, a presidência da Câmara e a presidência do Senado, com Renan Calheiros (PMDB-AL).

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

04 de fevereiro de 2013 | 10h50

Com o apoio do governo, Henrique Alves, 64 anos, chega ao plenário como candidato favorito na disputa. Alves, concretizada a vitória, terá pela frente a tarefa interna de administrar os interesses da bancada do PMDB. Parlamentares peemedebistas nutrem a expectativa de ter suas reivindicações atendidas com a chegada ao poder de Henrique Alves. Nessa lista estão cargos no governo, atendimento de seus pleitos nos ministérios, como a liberação de recursos para obras nos municípios que foram incluídos no Orçamento por meio de emendas parlamentares.

Há uma insatisfação represada entre deputados peemedebistas e uma constante disputa com o PT. Durante os dois primeiros anos de mandato da presidente e com a Câmara comandada pelo PT, o deputado Marco Maia (PT-RS), deputados peemedebistas reclamavam de pouco espaço em comparação do PT, tanto no Executivo quanto nas funções principais do Legislativo. A expectativa deles agora é "recuperar o tempo perdido".

A presidente Dilma Rousseff terá de contar ainda mais com o PMDB nestes dois próximos anos. Até agora, ela tem conseguido manter as suas duas frentes de atuação prioritárias no Congresso: impedir a votação de propostas que signifiquem aumento de despesa e garantir a aprovação das medidas de combate à crise, consideradas essenciais à sua gestão.

Também concorrem à presidência da Câmara os deputados Júlio Delgado (PSB-PE) e Chico Alencar (PSOL-RJ) e a deputada Rose de Freitas (PMDB-ES). O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), fez campanha nos bastidores por Delgado. Dezenove cabines de votação foram colocadas no plenário. A votação secreta é por meio de urna eletrônica. Ao chegar à Câmara, o presidente Marco Maia (PT-RS), estimou que a sessão para a eleição da Mesa dure em torno de três horas.

Tudo o que sabemos sobre:
câmaraeleiçãoinício

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.